COMUNIDADES DE VIDA E ORAÇÃO - Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor (Mateus 24,42)
Documento sem título
 
 
 

 
Arvores, irmãs arvores
Foi visto 21 vezes.
 
21/09
 
 
 
 
Vivei em paz, em harmonia, apesar de diferenças que aos olhos humanos parecem enormes?

Como as palmeiras imperiais, os jequitibás, os baobás se sentem ao lado de pequenos arbustos?

Árvores carregadas de frutos sapotis, mangueiras, coqueiros sentem tentação de desprezo encontrando árvores que só têm folhas e espinhos?

Como as árvores recebem, ninhos de pássaros, e crianças e jovens balançando-se em seus galhos?

Nas terras frias, quando as folhas todas caem e, não raro, os galhos, se cobrem de neve, que sentimentos dominam as árvores?

E a primavera dá idéia de ressurreição?
E quando as árvores, feridas pelas secas, parecem erguer braços desnudos em prece silenciosa ao Senhor e Pai?

Se sentis quando vos tiram as frutas? O pior são as pedradas?
E quando vos cortam os galhos?
E quando a árvore inteira segue para as carpinteiras e, depois de trabalharmos, vão ajudar construções de casas, de pontes, de cadeiras, de leitos?

Medis toda a utilidade e todo o simbolismo das pontes?
Que tal colaborar para a construção de um lar?
Cadeiras e leitos lembram repouso, lembram família: percebeis isto?
Quando um raio fere uma árvore, é verdade que ela prefere ser ferida a ver o raio cair matando uma pessoa, ferindo uma casa?

Lembra-te, Árvore, que o Filho de Deus, para reconciliar-nos com nosso Pai, Dele e nosso carregou uma cruz pesada!
Três vezes caiu debaixo dela e quis morrer pregado na cruz para salvar-nos !


Dom Helder Câmara



 
 

 

 
Visitas Únicas Hoje: 243 - Total Visitas Únicas: 299744 - Usuários online: 18