Cidadãos do Infinito




Artigos
  • Voltar





05/10/2020
A Revolução da moda Feminina e tentativas de intervenção da Santa Igreja Católica
Descubra quem estava por trás da Revolução nas vestes principalmente Feminina


 

Maçonaria e a origem da Imodéstia Moderna

 

A verdadeira história da Humanidade: a batalha entre Deus e Lucífer, o Bem contra o mal, a Santa Igreja Católica com todos os santos e anjos governados pela Virgem Maria contra Satanás seus demônios e réprobos. O prêmio em jogo, a ALMA HUMANA e seu destino eterno, céu ou inferno.

  • Três Revoluções Modernas:

 -1517 (revolução protestante) – Deus sim, Igreja não.

- 1717 (revolução maçônica) – Deus sim, Jesus não.

- 1917 (revolução comunista) – Deus não!

A Maçonaria moderna surgiu na Grande Loja de Londres, em 1717. O Papa Clemente XII, em 1738, foi o primeiro Papa a condenar a Maçonaria na bula papal In Eminenti. Os papas posteriores fizeram exatamente o mesmo, a saber: Bento XIV, Pio VI, Leão XII, Pio VII, Pio VIII, Gregório XVI, Pio IX e Leão XIII.

Os maçons planejaram atacar diretamente a Igreja, com a instrução Alta Vendita” para a destruição da Igreja Católica e do papado. Tais planos caíram nas mãos do Papa Gregório XVI (entre 1820 e 1846) e foram, posteriormente, publicados sob a autoridade de Pio IX e Leão XIII. O manifesto abertamente declara:

“Nossa intenção final é aquela mesma de Voltaire e da Revolução Francesa, a destruição permanente do Catolicismo e até dos ideais cristãos, aqueles que, se permanecerem de pé sobre as ruínas de Roma, significariam a ressureição da Cristandade.”

Em seu livro Athanasius and the Church of Our Time o Bispo Rudolph Graber citou um maçom que declarou que "o objetivo (da Maçonaria) já não é a destruição da Igreja, mas utilizá-la infiltrando-a". Como não pode apagar completamente a Igreja de Cristo, ela planeja não só erradicar a influência do Catolicismo na sociedade, mas usar a estrutura da Igreja como um instrumento para promover os princípios maçônicos de "renovação", "progresso" e "iluminação’’. Uma teologia progressista e liberal.
 

O documento orienta: a corrupção dos jovens vocacionados ao sacerdócio e à vida religiosa através do ensinamento das doutrinas humanistas seculares da Maçonaria. Um clero assim deformado, possibilitaria mudanças revolucionárias na Igreja e seleciona-los como líderes perpetuaria todo tipo de erro.

Em 1890, Padre Leão XIII em sua encíclica,  Dall’Alto Dell’Apostolico Seggio, levanta alguns dos objetivos perversos da Maçonaria:

  • Substituição de escolas religiosas por instituições ateístas e comandadas pelo estado;
  • Utilização das forças da lei para a separação da sociedade civil das influências clericais;
  • Supressão das organizações religiosas;
  • Regulamentação de todas as propriedades da Igreja;
  • Exclusão de qualquer influência católica das repartições públicas, das universidades, de obras piedosas e hospitais.

O Papa Pio XII credita aos maçons a geração de racionalistas, comunistas e humanistas seculares. Em 1958, Pio XII relatou que a raíz da apostasia moderna está na maçonaria que é a mãe do ateísmo cientificista, do materialismo dialético, do racionalismo, do iluminismo, do laicismo”

Os ataques à Igreja vindos do Comunismo, são incontáveis. A Dra. Alice von Hildebrand, em entrevista ao Church Militant, disse como apenas uma comunista, Bella Dodd, ajudou mais de mil simpatizantes do comunismo se tornassem ordenados sacerdotes. A missão, subverter a Igreja por dentro.

Um destes, um sacerdote e maçom francês que converteu-se, revelou quais eram as ordens  e o modo como ele iria influenciar mudanças na Igreja. O plano era encorajar os católicos a fazer o seguinte:

  • Remover todas as imagens de São Miguel;
  • Retirar a abstinência de carne às sextas-feiras e o jejum em geral;
  • Proibir a Missa Tradicional;
  • Incentivar as mulheres a não usarem véu;
  • Evitar ajoelhar-se para a Sagrada Comunhão;
  • Promover a Sagrada Comunhão na mão;
  • Promover mulheres para as leituras e até para o sacerdócio;
  • Eliminar a música sacra, o uso do órgão e o devido silêncio;
  • Remover as relíquias do Altar;
  • Retirar todas as imagens das igrejas;
  • Remover as devoções privadas, como novenas, ladainhas, etc.;
  • Ser tolerante com a homossexualidade dentro do sacerdócio;
  • Encorajar a presença de ministros extraordinários da Comunhão.

A fim de destruir o catolicismo, é necessário começar por suprimir a mulher… Mas já que nós não podemos suprimir a mulher, vamos corrompê-las com a Igreja…’ (Carta de Vindez para Nubius, nomes de guerra de dois líderes da Alta Vendita, a maior loja da Carbonari italiana, os revolucionários maçons, 9 de agosto de 1838.)

Os maçons tinham por objetivo se infiltrar ‘nas sacristias, seminários e mosteiros.’ Mas seria necessário algum tempo para os maçons entrarem nas instituições católicas. Então, eles tinham outro plano. Tinha a ver com as mulheres. Eles planejaram influenciar as tendências da moda e do estilo das mulheres e crianças começando por envolver seu próprio pessoal na indústria da moda. Foi também o plano Illuminati para formar e controlar a opinião pública através da mídia.

Em 1910, o Arcebispo de Paris liderou uma campanha contra a moda das mulheres sem recato. Em 1915, a Igreja lançou uma Diretiva Pastoral Geral afirmando que as mulheres devem se vestir decentemente na Missa e que o padre pode recusar-lhes a entrada na Igreja se elas não estiverem vestidas adequadamente.

Em 1917, Nossa Senhora de Fátima apareceu a três crianças em Portugal. A Beata Jacinta Marto, disse que ’mais almas vão para o inferno por causa dos pecados da carne, do que por qualquer outra razão’. Nossa Senhora de Fátima também disse que seriam introduzidas certas modas ’que ofenderiam muito Nosso Senhor’. Jacinta comentou que as pessoas que servem a Deus não devem seguir as tendências da moda atual. E que a Igreja não tem modas e que ’Nosso Senhor é sempre o mesmo’.

Em 1920 as calças apareceram nas passarelas da moda de Paris. Em 1921, o Papa Bento XV expressou seu choque por causa das mulheres que abraçam as tendências da moda atual e estilos de dança. Pela primeira vez na história, as mulheres refinadas foram vistas vestindo mangas acima do cotovelo e bainhas que rastejavam acima do joelho.

Mas em suas publicações, de 1928, os maçons tinham revelado o seu motivo e plano:

‘A religião não teme a ponta da adaga, mas pode desaparecer sob a corrupção. Não vamos nos cansar de corrupção: nós podemos usar um pretexto, como o desporto, a higiene, os recursos da saúde. É necessário corromper, que nossos meninos e meninas pratiquem o nudismo no vestuário. Para evitar muita reação, se teria que avançar de forma metódica: primeiro despir-se até ao cotovelo e, depois, até os joelhos, depois braços e pernas completamente descobertos, mais tarde, a parte superior do tórax, os ombros, etc. etc.’(International Review on Freemasonry, 1928).

O ano de 1928 foi também o início da Cruzada do Papa Pio XI Pela Modéstia. com uma Carta aos Bispos da Itália e foi dirigida principalmente às escolas administradas pelas irmãs religiosas.

Então, 1930, a Sagrada Congregação do Concílio (Congregação para o Clero), por despacho do Papa Pio XI, emitiu uma Carta aos Bispos que exortou, padres, freiras, professores, pais, etc. a insistir na modéstia:

Donzelas e mulheres vestidas indecentemente estão impedidas de comungar e de atuar como madrinhas nos sacramentos do Batismo e da Confirmação, ainda, se o delito for extremo, podem mesmo ser proibidas de entrar na igreja.’

 ‘Recordamos que um vestido não pode ser chamado de decente se é cortado mais que a largura de dois dedos sob a cova da garganta, se não cobre os braços pelo menos até os cotovelos, e se mal chega até um pouco abaixo dos joelhos. Além disso, os vestidos de materiais transparentes são impróprios…’

O Papa Pio XII (1939-1958) continuou a Cruzada Pela Modéstia durante seu pontificado. Numa alocução de 1941 para as meninas católicas: ‘O número de fiéis e mulheres piedosas… Aceitando seguir certas modas ousadas, quebram, pelo seu exemplo, a resistência de muitas outras mulheres a tais modas, que poderão ser a causa da ruína espiritual para elas.

Em 1946, os bispos canadenses continuaram, desta vez, advertindo os homens a usar camisas em público, mesmo na praia e para evitar calças apertadas. Nesse ano 1946, o primeiro biquíni apareceu nas passarelas de Paris. Coco Chanel voltou à cena fashion em 1954.

O Papa Pio XII advertiu as mulheres que, se determinados estilos eram uma ocasião de pecado para os outros, era o seu dever não usá-los. Ele também alertou as mães para ter certeza que seus filhos estavam vestidos com modéstia:

 ‘O bem da nossa alma é mais importante do que o nosso corpo, e nós temos que preferir o bem-estar espiritual de nosso próximo ao nosso conforto corporal… Se certo tipo de vestimenta constitui uma ocasião grave e imediata de pecado, e põe em perigo a salvação de sua alma e de outros, é seu dever desistir de usá-lo…’

 

Seja qual for a razão, um comentador vai direto ao ponto:

‘A triste verdade é que muitas garotas pré-adolescentes e adolescentes de hoje se vestem como prostitutas… Como tantas meninas acabam parecendo objetos sexuais? Como? Porque os pais deixam…

Será que os pais percebem que ‘damas da noite’ nas esquinas das ruas na década de 1950 não usariam o que algumas meninas usam para ir ao shopping estes dias?

Em 1959, o Cardeal Pla y Daniel, arcebispo de Toledo, Espanha, alerta o perigo natação mista, pois leva à promiscuidade. afirmou:

‘Um perigo especial para a moral é representada por banhos públicos nas praias… O banho misto entre homens e mulheres, que é quase sempre uma ocasião próxima de pecado e um escândalo, deve ser evitado.’

Em 1960, o Cardeal Siri, escreveu uma carta: ‘Notificação relativa ao traje masculino usado pelas mulheres’. Sua preocupação era que isso provocaria nas mulheres as atitudes mentais de um homem, e iria alterar os gestos da mulher, atitudes e comportamento.

O santo Padre Pio recusou às mulheres o acesso ao confessionário se os seus vestidos fossem muito curtos. Na porta da igreja estava esta mensagem:

Por desejo explícito do Padre Pio, a mulher deve entrar no confessionário vestindo saias, pelo menos, vinte centímetros abaixo do joelho. É proibido emprestar um vestido longo na igreja para usá-lo no confessionário.’

Mais recentemente, o Catecismo da Igreja Católica tinha uma série de coisas a dizer sobre a modéstia no vestir e no comportamento. Essas passagens são as mais pertinentes:

A pureza exige o pudor, uma parte integrante da temperança. O pudor preserva a intimidade da pessoa. Significa recusar-se a revelar o que deveria permanecer oculto. É ordenada para a castidade, cuja sensibilidade é testemunho. Ele orienta como se olha para os outros e se comporta em relação a eles, em conformidade com a dignidade das pessoas e sua solidariedade. (2521). O pudor protege o mistério das pessoas e do seu amor…. A modéstia é decência. Inspira a escolha da roupa. (2522). O pudor inspira um modo de vida que torna possível resistir às seduções da moda e das ideologias dominantes. (2523). As formas tomadas pelo pudor variam de uma cultura para outra. Em toda parte, entretanto, a modéstia existe como uma intuição da dignidade espiritual própria do homem. Esta nasce com o despertar da consciência de ser um sujeito. Ensinar a modéstia às crianças e aos adolescentes significa despertar neles o respeito pela pessoa humana. (2524). ‘

Temos a evidência de que a moda hoje é o resultado de um planejamento por parte daqueles cujo objetivo é a destruição total da sociedade cristã. Mas também temos sido avisados a respeito de qual caminho tomar. Cabe a nós usar o nosso livre arbítrio e decidir o que fazer para as nossas famílias e a nós mesmos.

 

Gn 3,21 --- O Senhor Deus fez para Adão e sua mulher umas vestes de peles, e os vestiu.

 

http://catolicosribeiraopreto.com/a-corrupcao-da-moral-atraves-da-moda-imodesta/



Artigo Visto: 217



Total Visitas Únicas: 504.566
Visitas Únicas Hoje: 60
Usuários Online: 50